segunda-feira, 5 de março de 2018

O crime e a pena

O Supremo determinou que R$ 71 milhões encontrados em uma única conta bancária do casal João Santana – Mônica Moura, os marqueteiros do PT, sejam entregues à União.
Quem disse onde estava o dinheiro foi o próprio casal, como parte do acordo de delação premiada.
A outra parte do acordo é uma pena bem atenuada, de 4 anos. Ambos ficam um ano e meio em “prisão domiciliar fechada”: não podem sair de casa sem autorização da Justiça.
Depois, a pena vai para um ano e meio no regime semiaberto, sempre em casa. Poderão sair de dia para trabalhar e prestar serviços comunitários, mas ficam em casa à noite e nos fins de semana.
Por fim, um ano em regime aberto, mas com restrições a saídas em feriados e fins de semana. E, durante a pena toda, não poderão trabalhar, direta ou indiretamente, no Brasil ou no Exterior, em marketing eleitoral. (Carlos Brickmann)

Nenhum comentário:

Postar um comentário